Senior woman is visited by her doctor or caregiver

Se é próximo de idosos, ou os tem a seu cargo, certamente já reflectiu e já sentiu muito do que falamos a seguir. Para os médicos da Knok, as dificuldades de assistência a idosos revela-se de forma muito clara em muitas das pessoas que consultam.

As pessoas com idade mais avançada têm tendência para desenvolver novas doenças que limitam a sua independência e a sua qualidade de vida.

Também são mais susceptíveis a terem infecções respiratórias ou descompensações cardíacas. Vêem o seu dia-a-dia ser cada vez mais invadido por medicamentos, pela necessidade de ir à consulta no hospital, à consulta no centro de saúde, ir fazer exames a um sítio, ir fazer exames a outro sítio…

Muitas vezes, a limitação da independência é tal que obriga à existência de um cuidador, sem experiência na gestão de uma pessoa idosa, na aplicação de cuidados e sem saber como actuar perante situações do agravamento do estado geral do idoso, principalmente na presença de alterações do comportamento, confusão, febre, prostração (responder menos ou nada), dificuldade respiratória, alterações da cor da urina, etc.

Nestas situações, é frequente o recurso às urgências hospitalares, esperando horas para poder ser atendido e com o risco de exposição a microorganismos potencialmente fatais.

Na Knok, acreditamos que deve ser possível o doente ter um médico assistente que o oriente de forma correcta e de forma contínua, em casa, estabelecendo com ele uma relação de confiança e de continuidade de cuidados.

 Os médicos da equipa knok, acreditam que quer o idoso, quer o cuidador, devem poder chamar um médico a casa, de forma simples e eficaz.